quinta-feira, 23 de junho de 2016

Livro: Entre o Agora e o Nunca - J.A. Redmerski


Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino. Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois. Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

A jovem Camryn está decidida a não amar alguém novamente. Ela perdeu o namorado, que amava verdadeiramente e ainda sofre com a dor da perda. Além disso, o namorado de sua melhor amiga Natalie, se declara para ela e quando Camryn conta a verdade, sua amiga decide não acreditar em Camryn. É aí que a jovem decide viajar para Idaho. 

"Te amei desde aquele dia em que olhei nos teus olhos pela primeira vez, me encarando do alto da poltrona daquele ônibus. Talvez eu não soubesse disso ainda, mas percebi que alguma coisa aconteceu comigo naquele momento, e que eu jamais poderia abrir mão de você."

No ônibus, Camryn conhece Andrew, um jovem atraente que primeiramente, se aproxima para proteger a moça. Logo percebe o quanto quer e a deseja, embora tenha seus segredos para também não se deixar amar. A princípio, Camryn lutou para não deixar Andrew se aproximar, mas o rapaz teve seus motivos para se manter por perto da garota e conseguiu sucesso em obter, pelo menos, a amizade dela. Amizade que se tornou algo mais, mesmo diante da negação de ambos.

Camryn, após ser salva por Andrew, decide que pode confiar nele e parte em uma viagem de carro com o cara. Nessa viagem ocorrem momentos memoráveis para os dois e o desejo de cada um, vai ficando mais forte. O problema é que os dois tem seus problemas emocionais e misteriosos e, com isso, o medo.

Numa noite os dois ficam juntos - sexualmente falando - e Camryn descobre coisas que gosta durante o ato que antes não sabia, ou ao menos não admitia para si mesma. Já Andrew, se afasta, mas a garota vai atrás e descobre os motivos do rapaz.

"A razão pode ser a melhor opção, mas agora tô cagando para o que a voz da razão tem a dizer. Agora só quero viver o momento"

Pelos comentários que lia sobre o livro, achei que amaria a leitura. Contudo, dei somente três estrelas, por não curtir muito a maneira que a autora construiu Camryn e Andrew, como personagens. Por vezes me irritava com Camryn, por suas decisões e sinceramente, confesso que houve momentos em que não a suportava. Andrew, apesar de se mostrar cavalheiro, também se mostra machista. Isto, no meu ponto de vista, aconteceu por várias vezes.

O final é bem clichê, no entanto, isso não faz com que seja um final ruim. Pelo contrário, depois de tudo que os dois passaram, acho que eles mereceram o final que tiveram.

*As avaliações com desenho da pimenta indicam que há cenas eróticas no livro.

Autora: J.A. Redmerski
Título Original: The Edge of Never
Origem: Literatura Americana
Editora: Suma de Letras
Tradução: Michele Vartuli
ISBN: 9788581051406
Publicação: 2013
Páginas: 359
Série: Sim - Entre o Agora e o Nunca
#1: Entre o Agora e o Nunca
#2: Entre o Agora e o Sempre
O Que Tem?: Romance, Road Trip, Segredos

LinksSkoob - Compre - Autora - Site da Editora

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Livro: Super Desapegada - Jaqueline de Marco

Super desapegadaRaquel faz o maior sucesso na internet. Seu blog “Super Desapegada” motiva mulheres a se valorizarem e prega a autoestima sem a presença constante e essencial de um companheiro. Mas fora da web, Raquel não é tão descolada assim... Ela sempre teve um amor platônico por seu melhor amigo de infância, Alan. Mas no aniversário de 30 anos de Raquel, ela descobre que ele está noivo de Bianca, a irmã caçula de seu rival nos tempos de escola, Eric. Para conseguir acabar com o casamento, e conquistar de vez seu grande amor, Raquel precisa se aliar ao sarcástico Eric. Mas logo ela começa a perceber que a união pode render muito mais do que ela imaginava e a aprender que para praticar o tão estimado “desapego” é preciso abrir seu coração para novas experiências... e quem sabe para um novo amor.

No início da narrativa, acompanhamos Raquel Alencar em sua festa de quinze anos. A noite já não estava muito boa e seu amigo pestinha Eric, detona seu vestido com o glacê do bolo. O consolo vem de Alan, um dos melhores amigos. Alan a compreende e aconselha, como ninguém. Um ótimo motivo para se tornar um crush por quinze anos, né não?

Agora na fase adulta, Raquel ainda não esquece a atenção e carinho de Alan, naquela noite. Eles ainda mantêm contato e ela faz de tudo para tê-lo por perto. Como ele é veterinário, até uma gatinha ela arrumou para ter desculpa de ir até à clínica. Apego total. O que é uma grande ironia, em relação ao seu blog. Lá, Raquel expõe uma imagem de si, como uma mulher desapegada que sabe ser feliz sozinha e tals. Ela faz muito sucesso com suas leitoras, que esperam ávidas pela próxima postagem.

Com tanto tempo de crush, Raquel decide se declarar para Alan, na noite da comemoração de seu aniversário de trinta anos. Ele enviou rosas vermelhas, isso só pode significar uma coisa, né??? Significa é nada! Pois Alan, chega acompanhado na comemoração e praticamente arrasta a cara da moça no asfalto, ao dizer que está noivo de Bianca, que nada mais é que a irmã caçula de Eric, o pestinha. Eric trabalha no ramo de games e está prestes a organizar uma convenção. Raquel e ele se reencontram após o moço contratar a empresa que ela trabalha, para assessorar. Os quatro moravam no mesmo bairro durante a infância e costumavam brincar juntos. Bianca era a mais nova da turma e muitas vezes acabava excluída. A união dos dois faz com que Raquel se aproxime mais de sua antiga vida, ainda mais quando se une a Eric para separar Alan e Bianca.

Eric nunca gostou de Alan e Raquel, pensa que Bianca não é a mulher certa para o melhor amigo. A paixão a cega e a faz se aproximar da noiva, e se tornar amiga. A ideia é fazer Bianca enxergar que está muito cedo e que seus sonhos precisam vir primeiro. Mas, as coisas saem um pouco de controle, é claro...E Raquel e Eric passam mais tempo juntos, as recordações dominam e ele a tira da zona de conforto.

"Aprenda a não aceitar migalhas. Você não é pombinha de praça."

Desde que vi uma postagem, sobre esse livro, no blog da Bianca, fiquei curiosa e fui pesquisar mais sobre ele. Simpatizei bastante com enredo porque adoro chick-lit. Sempre me lembram os filmes de comédia romântica. Boa parte me diverte e infelizmente, sou gulosa e não largo até finalizar, conforme me divirto. Pois bem, a Draco está fazendo uma ação com os blogueiros, que temos que escolher um dos e-books - numa lista feita por eles -, adquirir na Amazon e resenhar. Eles vão te enviar o código promocional, clique aqui e saiba mais. Super Desapegada está na lista, então aproveitei! E digo que meu lado guloso, prevaleceu.

A escrita de Jaqueline é fácil, bem divertida e jovial. A maior parte da narrativa é pelo ponto de vista da Raquel, mas divide com Eric. Como citei, Raquel é blogueira e a autora se preocupou em detalhar as postagens dela, não só com os textos em si. A protagonista é simpática e suas ações mostram que ela precisa de amadurecimento - apesar da idade - e que vem mesmo, no decorrer da leitura. Tanto que o problema dela com Alan + Bianca, parte, é resolvido na metade do livro. O que acontece depois, são só consequências do que ela plantou - enquanto estava do contra - e influencia nesse amadurecimento. Sério, não ia aguentar o ódio contra o casamento o livro todo e esperar liçãozinha no final. Conforme ela respira de alívio, vem outra bomba. Mas, na verdade, Raquel tinha um bom empecilho para sabotar o projeto "Sementinha do Mal" e relaxar...e esse motivo é o adorável pestinha Eric.

A relação dos dois é muito divertida. Eric gosta de relembrar coisas da infância, isso inclui apelidos, o que irrita Raquel. E ele gosta de irritá-la. Antes de reencontrar Raquel, ele levava uma vida digna de homem solteiro e a gente suspeita se ele aceita tudo só porque ~odeia~ o certinho do Alan. Mas, vamos combinar que Eric conquista o leitor de cara, pelo menos comigo. Se bem que acredito, que ele é meio que inspirado no Alexander Skarsgård (que interpretou o vampiro Eric em True Blood.). Vocês que acessam o blog há um bom tempo, sabem que eu meio que...fico de love por ele aqui e nas redes do Obsession (além do Fassbender, Idris Elba....=x). O que deixaria o meu crush pelo personagem Eric desse livro, um pouco questionável. Contudo, se você curte personagens masculinos sarcásticos, facilmente simpatizará com ele.

"Alan nunca fora seu namorado, nem sequer tinham estado juntos sem ser como amigos, mas sentia-se pertencente a ele de alguma forma e, pela primeira vez na vida, entendia como se a relação de via única que alimentava estivesse finalmente abalada."

Super Desapegada, é uma leitura mais que recomendada para quem curte o estilo. O clima desastroso emocionalmente para a protagonista, acaba colocando-a em situações cômicas e se você não se identificar, vai identificar alguém. Uma mensagem despretensiosa sobre a arte do desapego, destacando a área de relacionamentos, em que às vezes o culpado pela falta de felicidade na nossa vida, somos nós mesmos. E em alguns pontos me lembrou aquele filme Vestida Para Casar, com a Heigl, que apesar de não ir com a cara dela, eu gosto desse filme.

Apesar de ter lido em e-book, gostei bastante da formatação, com fontes diferentes. A revisão está muito boa e não me deparei com erros. Assim que estiver rica para livros, de novo, tentarei adquirir a versão física.


Autora: Jaqueline de Marco
Origem: Literatura Brasileira
Editora: Draco
ISBN: 978-85-8243-112-2
Publicação: 2015
Páginas: 220
Série: Não
O Que Tem?: Humor, Romance, Melhor Amigo, SP


LinksSkoob - Compre - Site da Editora - Site da Autora
O Obsession Valley agradece à editora Draco, por ceder o exemplar para análise.

sábado, 18 de junho de 2016

Lançamentos Literários Junho 2016 - Harlequin

Olá pessoas, tudo bem?
Chegaram as novidades de Junho da Harlequin.
Junho, mês dos namorados e ainda com o inverno chegando, nada com um bom romance para acompanhar. Confiram os lançamentos e para acessar a loja virtual, clique aqui.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Livro: A Árvore da Mentira - Frances Hardinge

A Árvore da MentiraA MENTIRA TEM SEUS FRUTOS. E QUASE NUNCA SÃO DOCES. Na inóspita ilha inglesa de Vane, em pleno século XIX, os Sunderlys desembarcam, atraindo atenções e suspeitas. Quando o reverendo Erasmus, patriarca da família e proeminente estudioso de ciências naturais, é encontrado morto em circunstâncias obscuras, sua fi lha, a jovem e impetuosa Faith, está determinada a desvendar o mistério. Para isso, precisará de coragem não apenas para confrontar dolorosos segredos mas também para desafiar as implacáveis tradições da sociedade em que vive. Investigando os pertences do pai em busca de pistas, ela descobre uma planta estranha. Uma árvore que se alimenta de mentiras sussurradas e dá frutos que revelam verdades ocultas. Quando a espiral das sedutoras mentiras de Faith fica fora de controle, ela compreende que as verdades estilhaçam muito mais. Combinação de horror, romance policial e realismo fantástico, esta arrepiante história da premiada escritora britânica Frances Hardinge, autora de "Canção do Cuco", promete arrebatá-lo do começo ao fim.


"Escolha uma mentira em que os outros queiram acreditar."

Um mistério envolve a ida da família Sunderly para a remota Ilha Vane. A jovem inglesa Faith de quatorze anos, desconfia que seu pai - o Reverendo Erasmus Sunderly - não está em uma de suas viagens científicas, já que ele nunca requisitava a companhia da família enquanto trabalhava em suas pesquisas e estudos. Mas, de acordo com seu tio Miles, o Reverendo fora convidado para participar de uma escavação naquela área. Mas, Faith não é como as outras meninas de sua época. Ela é não é do tipo que fica sem respostas. Ela é inteligente e sabe que escondem alguma coisa. E então, descobre que o pai foi acusado de fraude e a ilha será o novo refúgio da família.

Apesar do Reverendo não ser um pai amoroso e companheiro, Faith o admira o suficiente para não acreditar nesses rumores. Enquanto a mãe a trata como criança, lhe vestindo com babados e luvas que nem são para sua idade, Faith quer ser como o pai. Estudiosa, desenvolver grandes teorias e se envolver no mundo da fauna e flora. Mas, numa época em que os homens gostam de medir a inteligência das mulheres pelo tamanho do crânio, não é fácil mostrar seus ideais e se esticar o assunto. Daí resta tomar conta do irmão de seis anos, que claramente é o mais querido, apesar de nenhum dos pais demonstrarem isso. Na verdade, o pai prefere guiar sua atenção à uma planta misteriosa que até o leva instalar armadilhas ao redor da torre que ela se encontra, na nova residência da família. Quando uma criança da vizinhança quase perde o pé, numa delas, os outros moradores da ilha passam a ignorar a família. 

Numa noite, apesar do mau tempo, o Reverendo sai na companhia da filha e da planta, atrás de uma caverna e lá esconde a famosa Árvore do Embuste. A planta que gosta de sombra ou meia-luz e dará frutos se for alimentada com mentiras. Ele deixa Faith em casa, pede segredo sobre a saída deles e sai pela noite, novamente. No dia seguinte, o Reverendo é encontrado morto com suspeita de suicídio, o que dificulta o enterro dele, pois suicídio é um ato pecaminoso, visto pela comunidade. Faith sabe que o pai nunca se mataria e sai em busca de provas. Ao remexer nos pertences do pai, encontra seu diário e enfim, conhece a bela história da Árvore.

Faith sabe exatamente onde encontrá-la. Na caverna. Os relatos no diário do pai, pareciam contos de fadas, mas não custava tentar. Precisava encontrar a verdade sobre a morte dele e se tudo aquilo fosse verdade, a Árvore poderia dar as respostas. Conforme Faith a alimenta com mentiras e cria as situações, as histórias se espalham pela ilha fazendo com que a planta cresça mais e mais. A cada fruto - de gosto horrível - Faith ganha visões de acontecimentos, que a desafiam e a fazem suspeitar de boa parte dos moradores do local.

"Quando perguntei como uma planta poderia "alimentar-se" de mentiras, ele disse que a falsidade tinha de ser sussurrada à Árvore, para então circular amplamente. Quanto mais importante fosse a mentira, e maior o número de pessoas que acreditasse nela, maior seria o fruto. Se alguém consumisse o fruto, ganharia o conhecimento do tipo mais secreto, e sobre questão de profundo interesse." pág: 125.

Esse livro chegou de surpresa por aqui, com uma sementinha escrito coragem, de brinde. Eu já estava ~paquerando~ ele pelas postagens da editora no Facebook, então, nem posso descrever a felicidade né? Essa capa linda transmite bastante a forma sombria que a autora conduz a narrativa, mas acompanhada pelo ar juvenil. Faith está na sua investigação sozinha, em vista que a população da ilha não é muito amigável com a família. O único com quem conversa, mas de jeito rústico, é o filho do pregador da cidade, Paul Clay. Demora bastante até que ela o inclua na aventura. A forma inocente que a autora desenvolve a estranha amizade, cativa e os loucos por shippers devem se conter.

Além das questões envolvendo a mentira e os resultados quando uma é fielmente alimentada, a autora ainda explora o machismo da época - século XIX - mostrando como Faith tem que se comportar na frente dos amigos do pai. Pessoas que ela amaria conversar e discutir seus conhecimentos, e não lhe dão chance. Em uma cena que ela discute com o pai eu fiquei nervosa pelos desaforos. Ele praticamente diz que ela deveria cuidar bem do irmão, pois dependerá dele futuramente. Já que parte da sua economia é o dote. O relacionamento entre ela e o pai, lembrou um pouco o com meu pai. Nós não conversamos muito e isso acaba fazendo ele pensar que eu sou tipo alien em qualquer assunto. Mas, deixa ele pensar....

Um dos ganhadores do Costa Book Awards 2015, que é um dos prêmios literários de maior prestígio do Reino Unido, A Árvore da Mentira trás um mistério de tirar o fôlego, com uma protagonista super destemida. Hardinge descreve suas cenas de maneira eficaz e o lado fantasioso envolvendo a árvore convence e é um dos belos atrativos do enredo. E o lado histórico, claro, não deixa a desejar.

"Apesar de tudo, havia verdadeiro prazer em pensar na mentira espalhando tremores por Vane, desequilibrando seus inimigos tão autoconfiantes e fazendo-os lutar entre si feito gatos. Faith encheu-se de orgulho e sensação de poder. Era boa nisso...e estava melhorando." - pág: 202.

Gostei bastante da edição da editora e a minha plantinha parou de crescer. Não sei o que houve, ela esticou praticamente numa única noite e depois :(...Ela ainda está com as plantas da minha mãe, mas acho que é oficial: Nem planta consigo cuidar...


Autora: Frances Hardinge
Título Original: The Lie Tree
Origem: Literatura Britânica
Editora: Novo Século
Tradução: Caio Pereira
ISBN: 9788542807950
Publicação: 2016
Páginas: 304
Série: Não
O Que Tem?: Mistério, Fantasia, Inglaterra XIX

LinksSkoob - Compre - Site da Editora - Site da Autora
O Obsession Valley agradece à editora Novo Século, por ceder o exemplar para análise.
 

Obsession Valley | Livros, Filmes, Séries e outras coisas... Template by Ipietoon Cute Blog Design