23/07/2014

Livro: Os Pinguins do Sr. Popper - Richard Atwater e Florence Atwater

Em 'Os Pinguins do Sr. Popper' O Sr. Popper, pintor de paredes, tem um sonho: ser um intrépido explorador na Antártica e viver entre seus animais favoritos, os pinguins, ao lado de seu grande herói, o almirante Drake. Ele fica completamente admirado quando o almirante responde a uma de suas cartas e lhe envia uma encomenda com... um pinguim! Um pinguim de verdade! Logo o bichinho ganha uma companheira, e antes que se dê conta o Sr. Popper tem um rinque de patinação no gelo em seu porão e uma dúzia de lindos pinguins vivendo em sua casa. Quase sem dinheiro para alimentar a família e com uma dívida cada vez maior por conta de compras e mais compras de peixe fresco e camarões, o que o criativo Sr. Popper poderia fazer? Treinar seus pinguins e colocar o pé na estrada com um belo espetáculo, é claro! Uma história inesquecível que se tornou o clássico mais querido de várias gerações de leitores, convidando-os a imaginar, sonhar e acreditar que, sim, tudo é possível.

"- Você nunca se cansa de ler sobre o polo Sul? - Não, nunca. É claro que eu preferiria viajar para o polo Sul a ler sobre ele. Mas ler é a segunda melhor opção.”

Na cidade de Água Mansa vive o pintor de paredes Sr. Popper. Em uma pequena casa, mora com sua esposa e seus dois filhos. 
O fim da primavera para o Sr. Popper significa que a temporada de trabalhos terminou e terá de viver com sua família contando com as economias que foram feitas nesse período, até que o Sr. Popper retorne ao trabalho.

O Sr. Popper sempre lia algo sobre a Antártida, estava sempre assistindo a filmes sobre o assunto, era o que o mantinha ocupado em suas “férias”. E no rádio, ouvia o programa de seu ídolo, o Almirante Drake, que estava na Antártida. 
Um dia resolveu enviar uma carta para o almirante dizendo o que achava sobre os pinguins, e não poderia sentir-se melhor quando ouviu o almirante responder sua carta no rádio dizendo que enviara uma surpresa para Sr. Popper. Ficara tão ansioso que nem imaginara que era um pinguim, até que receber o pacote em casa.

A criaturinha, que recebera o nome de Capitão Cook, tão fofo, logo conquistou toda a família Popper. No inicio houve dificuldades com o clima quente, o que logo foi resolvido com o refrigerador. A cada dificuldade, os Poppers davam um jeito de contornar a situação. Alguns dias se passaram e era notório que Capitão Cook sentia-se sozinho, foi então que ao procurar ajuda em um zoológico, receberam mais um pinguim em casa: Greta. O casal de pinguins não poderia esta mais feliz e logo Greta colocou 10 ovos. As coisas voltaram ao normal novamente.

Havia, no entanto, um pequeno problema, se já era difícil manter a família com as economias, como manteriam também, os pinguins, que elevavam muito os gastos? Foi então que Sr. Popper teve a ideia de treinar seus pinguins e leva-los aos teatros de todo o mundo. Cada vez mais “Os Pinguins do Sr. Popper” faziam mais sucesso e ficavam mais conhecidos e a família não tinha mais problemas econômicos.

Com um texto fluido, Os Pinguins do Sr. Popper é um livro muito gostoso. 
De fato, ótimo e encantador, apesar de ser um livro voltado para o público infantil, recomendo para qualquer um, não importa a idade.
Nunca é tarde para acompanhar as aventuras desses pinguins amáveis junto com os Poppers.

"Ele tinha conseguido retirar as tábuas externas e parte da embalagem - uma caixa de gelo seco - quando, das profundezas da caixa, de repente se fez ouvir um débil 'ork'. Seu coração parou."

Diversão garantida pra toda família também através da adaptação cinematográfica, que fora lançada em 2011, denominada 'Os Pinguins do Papai'. 
No filme, contamos com Jim Carrey como Tom Popper
Diferente da obra literária, Popper é um homem de negócios, especialista em comprar imóveis antigos com o intuito de que sejam demolidos para a construção de edifícios modernos. Popper recebe um pinguim da herança deixada por seu pai e, ao perceber como seus filhos gostaram da ideia de ter um pinguim, decide ficar com o bichinho a fim de se aproximar dos filhos e logo vê seu apartamento de pernas para o ar.
Confiram ao trailer:




Assisti ao filme várias vezes antes de ler o livro e posso dizer que não tive dificuldades na leitura. Como há muitas diferenças entre a adaptação para cinema e o livro , às vezes acontece, o que não foi o caso aqui. 
Quando o assunto é adaptação de algum livro pro cinema, sempre vejo comentários sobre como o filme estragou a história do livro, porém, Os Pinguins do Papai é uma comédia tão boa no livro quanto no filme e, talvez, por isso eu não saiba dizer qual me agradou mais. 


Cena do filme 'Os Pinguins do Papai'

As duas obras, com suas diferenças, me arrancaram boas risadas com as aventuras hilárias desses pinguins junto da família Popper.


Autores: Richard Atwater e Florence Atwater
Título Original: Mr. Popper's Penguins
Tradutor: Flávia Souto Maior
Editora: Intrínseca
Publicação: 2011 / Originalmente: 1938
ISBN9788580570571
Páginas: 144
Série: Não
Temas: Crianças, Relacionamento Familiar, Pinguins

22/07/2014

Semana do Livro Nacional 2014

19 a 27 de Julho

Projeto idealizado pela autora Josy Stoque, em comemoração ao Dia do Escritor [25 de Julho].

> Para saber mais: Acesse Semana do Livro Nacional - Blog / Facebook / Twitter

> Programação Divulgada pelo Blog Caverna Literária (Não é só SP e Rio ;) ): Acesse

> Promoção de Livros Nacionais do selo Novas Páginas/Novo Conceito - No Facebook - Participe!

> Hangout com a autora parceira Barbara Herdy - Dia 24 às 19:00h G+

21/07/2014

Lançamentos Literários - Gente e Única / 2014

Olá pessoa, tudo bem?
Mais uma semana iniciando, e nem acredito que Julho já está acabando.

Hoje trago para vocês os lançamentos das Editoras Gente e ÚNICA, espero que gostem :)

Colocarei 'Como Sair da Friendzone', na lista... para evitar futuros imprevistos, né?

16/07/2014

Livro: Praticamente Inofensiva - Douglas Adams

Atenção! Se você ainda não leu nenhum dos livros e/ou resenhas anteriores, sugiro que não continue a ler essa resenha. Pode conter spoiler. Clique aqui e leia a resenha do primeiro livro.

Os anos mais conturbados como um viajante solitário já haviam passado. Arthur Dent se resignara à nova condição e se acostumara à vida pacata e relativamente feliz como Fazedor de Sanduíches em Lamuella. Conquistara até um certo prestígio junto aos habitantes locais e fazia disso um bom argumento para continuar por lá. 
Ao mesmo tempo, Ford Prefect via-se num conflito profissional ocasionado pela repentina venda do Guia do Mochileiro das Galáxias para outra editora. Sem compreender o funcionamento do novo Guia – que passara a se "comportar" de forma estranha – e não gostando nem um pouco de seu novo cargo como crítico de restaurantes, Ford se mete em alucinantes roubadas para não sair prejudicado (e para obter algum lucro, é claro).
Em outro ponto do Universo, Tricia McMillan havia feito fama intergaláctica como repórter e levava uma rotina razoavelmente satisfatória, até um pequeno planeta chamado Rupert ser descoberto e tudo começar a dar estranhamente errado em sua vida.
Espalhados pelos mais insondáveis cantos da Galáxia, Arthur, Ford e Tricia iam tocando suas vidas da melhor forma que podiam, mas tudo se complica novamente quando eles se reencontram. Tentando manter a sanidade e salvar a si mesmos, eles acabam assistindo juntos ao inevitável destino da Terra. Com reviravoltas surpreendentes, Praticamente Inofensiva traz aguardadas respostas, lança novas perguntas e, acima de tudo, faz o leitor lamentar o fim da saga de Dent e seus companheiros.
                                 
Depois de muitas aventuras intergaláticas, nossos personagens queridos deram uma pausa nas viagens: Arthur Dent, cansado de procurar um certo alguém, agora vive no planeta das Bestas Perfeitamente Normais; Ford Prefect está trabalhando em um novo Guia e Trillian (Tricia McMillan) é uma repórter de fama intergalática.

Na vida de Arthur, tudo estava indo bem, na medida do possível, vivendo como o Fazedor de Sanduíches em um planeta chamado Lamuella. Bem até que ele recebe a visita de Trillian, acompanhada de sua filha adolescente, Random (que nome aleatório, literalmente!). Sem muita conversa e nem bate-papo, Trillian larga Random com Arthur e some no espaço, deixando os dois mais confusos do que nunca.

Em outro lugar do universo, existe um Ford Prefect preocupado com o rumo que o Guia está tomando. Além da mudança de planetas - que já é normal -, dessa vez, a direção do Guia também mudou, passando para as mãos da empresa InfiniDim. Como já é de se esperar, Ford Prefect e mudanças são duas coisas que não se misturam.

Já em um universo totalmente paralelo e aleatório onde a Terra não foi destruída, temos Tricia McMillan e sua nada sucedida carreira de repórter. Depois de uma viagem nada agradável à terra do Tio Sam, Tricia recebe a visita de uns etzinhos oriundos do planeta Rupert. Enquanto tentam convencer que Tricia não está louca, os alienígenas pedem ajuda a ela para se lembrar qual era sua missão e o que deveriam observar.

Os caminhos de Arthur, Ford, Tricia alternativa e Random se encontram no exato momento em que o Guia vai parar na mão de Arthur - quase ao mesmo tempo que sua filha. Uma das novidades desse novo Guia é que os universos que pensamos ser paralelos não são tão paralelos assim.

Muita confusão e explicações malucas - como a Mistureba Generalizada das Coisas - fazem parte do desfecho dessa originária trilogia que se tornou cinco livros.

Em Praticamente Inofensiva, Douglas nos traz um desfecho para essa série. Confesso que, no meio do caminho, me deu vontade de jogar tudo pro ar: é muita loucura pra uma mente só. Mas, tenho fé na humanidade que, algum dia, quem sabe, irei entender o que é essa Mistureba Generalizada das Coisas.

Considerado o livro mais filosófico da série, Douglas nos enche de informações sobre o universo, astrologia, física quântica entre outras coisas, o que torna Praticamente Inofensiva uma fonte de conhecimento, mesmo que você nem perceba.

O bom humor e sarcasmo continuam presente, mas um pouco diminuídos. Afinal, depois de muitas viagens malucas pelo espaço, temos de nos despedir de Arthur e seus amigos. Mas, não com despedidas chorosas e aguadas, cheias de lágrimas. Aqui, Douglas se despede de uma forma engraçada e divertida.

Claro, separei alguns quotes bem legais.
O motivo pelo qual não são paralelos é o mesmo pelo qual o mar não é paralelo. Não significa nada. Você pode fatiar a Mistureba Generalizada de Todas as Coisas do jeito que quiser e geralmente vai acabar com algo que alguém vai chamar de lar.
Por favor, sinta-se à vontade para enlouquecer agora. (pág. 19)
Arthur Dent já estivera em alguns buracos sinistros em sua vida, mas jamais havia visto um espaçoporto com uma placa dizendo: "Mesmo viajar de má vontade é melhor do que chegar aqui." (pág. 50)
– Para cima!
Continuavam parados no mesmo lugar.
– Sobe, sobe, sobe! – Uma lesma estava se preparando para lançar um foguete contra ele. Ford mal podia acreditar. Estava pendurado no ar por uma toalha, com uma lesma se preparando para lançar foguetes sobre ele. Suas possíveis alternativas estavam se esgotando e começou a ficar seriamente assustado. (pág. 88)

Depois de uma paradinha em O Restaurante no Fim do Universo e filosofar sobre A Vida, o Universo e Tudo Mais, munidos de uma toalha e O Guia do Mochileiro das Galáxias, diga Até Mais e Obrigado pelos Peixes, embarque em Praticamente Inofensiva e descubra o que é a Mistureba Generalizada das Coisas.

Autor: Douglas Adams
Título Original: Mostly Harmless
Tradutor: Marcia Heloisa Amarante Gonçalves
Editora: Editora Sextante/Arqueiro
Publicação: 2009
ISBN: 9788599296974
Páginas: 206
Série: A Trilogia de Cinco / O Guia do Mochileiro das Galáxias
#1: O Guia do Mochileiro das Galáxias ( Resenha)
#2: O Restaurante no Fim do Universo ( Resenha)
#3: A Vida, O Universo e Tudo Mais (Resenha)
#4: Até Mais e Obrigado Pelos Peixes (Resenha)
#5: Praticamente Inofensiva
#6: E Tem Outra Coisa (Escrito por Eoin Colfer
Temas: Sci-Fi, Humor, Fantasia, Nerdices
Links: SkoobAmericanasPágina no site da Editora
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...