quinta-feira, 5 de maio de 2016

Livro: Sussurro - Becca Fitzpatrick

SussurroSe apaixonar nunca foi tão fácil… ou tão mortal. Para Nora Grey, romance não era parte do plano. Ela nunca se sentiu particularmente atraída por nenhum garoto de sua escola, não importa o quanto sua melhor amiga Vee os empurre para ela. Não até a chegada de Patch. Com seu sorriso tranquilo e olhos que parecem enxergar dentro dela, Nora é atraída por ele contra seu bom senso. Mas após uma série de acontecimentos aterrorizantes, Nora não sabe em quem confiar. Patch parece estar onde quer que ela esteja, e saber mais dela do que seus amigos mais íntimos. Ela não consegue decidir entre cair nos braços dele ou correr e se esconder. E quando tenta encontrar algumas respostas, ela se acha próxima de uma verdade que é bem mais perturbadora do que qualquer coisa que Patch a faça sentir. Pois Nora está bem no meio de uma antiga batalha entre os imortais e aqueles que caíram – e, quando se trata de escolher lados, a escolha errada poderá custar sua vida.

A jovem Nora Grey, de dezesseis anos, ainda está lidando com a morte do pai. Nora vive com a mãe - que quase não para em casa - em uma casa de fazenda, distante da cidade, no Maine. Seus dias são preenchidos com deveres de casa, a edição do eZine da escola, conversas com a melhor amiga Vee Sky e a empregada Dorothea. Até conhecer o novo aluno Patch, durante a aula de Biologia.

Patch Cipriano acaba se tornando parceiro de Nora durante as aulas. Enquanto a jovem se mostra interessada em conseguir uma boa nota na matéria, ele parece não se preocupar e logo Nora é apresentada ao mundo misterioso e liberto dele. Mas, a aproximação entre os dois também desperta desconfiança, já que fatos perturbadores começam a rondar a vida de Nora e até atingindo sua amiga Vee. O misterioso Patch, de repente, está em todos os lugares e provavelmente, até em seus pensamentos. Seus segredos, como uma ficha vazia na escola, atiçam Nora de uma maneira que ela se vê atraída cada vez mais, por ele.

"...a verdade era que Patch não era o tipo de cara que fazia as mães sorrirem. Ele era o tipo que fazia com que elas trocassem as fechaduras de casa." - pág: 160.

Não só a vida de Patch desperta interesse de Nora. Com a chegada de um outro aluno, - escola predominada por alunos novos creepies - ela se vê numa investigação perigosa sobre ele. Elliot, fora transferido e junto com seu amigo Jules, e de início demonstrava ser um garoto amigável, até Nora descobrir sobre seu passado e passar temer sua presença. Vee não acredita em suas suspeitas, apesar de ser uma amiga bem maluca e divertida. Difícil não gostar dela, apesar do lado irritante dizendo coisas que provavelmente você nunca irá fazer, mas nem por isso irá deixar de contar com ela.

A vida de Nora está dominada pela desconfiança. Ela tem certeza que está sendo perseguida e que estão tentando assustá-la. Vários suspeitos em cena e impossível Patch, não ficar de fora da lista, mesmo depois quando revela suas verdades, ainda há dúvida sobre ele ser confiável e realmente protetor. O que deixa um lado positivo. Nora costuma resolver tudo sozinha e só o questiona. Por toda narrativa, apenas uma vez ela pede ajuda a Patch.

" O sorriso por si só já era bastante assustador, mas sob a fachada áspera guardava um tom de desejo. Mais do que um tom, para falar a verdade. Uma sinfonia inteira de desejo." - pág: 159.

Escrita fácil e descontraída, a autora nos apresenta poucos personagens amigáveis. Dá para contar nos dedos quantas pessoas são realmente legais nesse livro, que não querem bater em Nora ou matá-la. Olha que ela nem é uma protagonista insuportável. Há piores. Mas, personagem sem graça mesmo, fica para a amiga de classe, que mais latia do que mordia tanto que sumiu, após um certo acontecimento, e nem senti falta de detalhes sobre ela, após todos os eventos para dar rumo ao final.

Becca Fitzpatrick, introduz muito bem a sua série, o que me deixa com receio de ler suas continuações. Na verdade, eu sinto isso na maioria das vezes. Para essa resenha, eu reli Sussurro e gostei no mesmo nível do que a primeira vez. Gosto da finalização desse livro e me pergunto o que houve para mais três existirem e então, o receio bate. A única coisa que me deixa atiçada nesse primeiro livro, que talvez tenha sido mencionado nos outros volumes, é sobre o pai da Nora. Mas, todo leitor sabe, a curiosidade fala mais alto.

"Pisquei, para tentar fazer as cicatrizes desaparecerem, mas elas estavam ali de verdade." -pág: 193.

Minha história com Sussurro, foi que comprei pela capa, anos atrás. Nem cheguei a ler a sinopse e ainda bem que não decepcionei. Gosto de enredos envolvendo anjos e foi uma leitura light e os clichês nem me incomodaram pois, eu já esperava. A capa é incrível e apaixonante. Uma das minhas favoritas da estante.

E é claro que Patch Cipriano entrou na minha lista de Crush Literário.


I Dare You - Desafio Literário
Essa leitura fez parte do Desafio I Dare You 2016
Desafio de Abril: Comprou pela Capa
Autora: Becca Fitzpatrick
Título Original: Hush, Hush
Origem: Literatura Americana
Editora: Intrínseca
Tradução: Lívia de Almeida
ISBN: 9788580574524
Publicação: 2010
Páginas: 264
Série: Sim - Hush Hush
#1: Sussurro
#2: Crescendo
#3: Silêncio
#4: Finale
O Que Tem?: Anjos, Romance Sobrenatural, Mistério

quarta-feira, 4 de maio de 2016

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Livro: Neve na Primavera - Sarah Jio

Neve na PrimaveraSeattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho. Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade.Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve.Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos, Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

Depois de um trágico acidente, Claire se encontra em um casamento despencando em ruínas e já não sabe mais o que fazer. Seu marido se mostra cada vez mais distante e nem mesmo ela, querendo ou não, consegue se aproximar. Claire se sente diferente e já não é a mesma mulher de antes do acidente, deve aprender a lidar com a dor, no entanto, não sabe que ela mesma não se deixa viver e sentir tudo o que tem para desfrutar, seja bom ou ruim.

Em 1933 Vera Ray perdeu seu filho e não teve sucesso em encontrar Daniel, seu precioso menino, além disso, se deparou com um desgostoso e inesperado destino.

"- Seu castelo no céu - Ele dissera três semanas depois, entregando-me uma chave prateada e brilhante." (pág. 18)

Claire é jornalista e trabalha no jornal da família de seu marido. Em uma época peculiar, a primavera recebeu a presença da neve e Claire recebeu o trabalho de escrever sobre este evento. É aí que ela descobre sobre o caso de Vera e Daniel, que até hoje não havia se solucionado e aconteceu justamente em meio ao fenômeno climático que agora ocorria no presente. Claire não entende, mas se sente atraída pela história de Vera e sente que deve descobrir o que aconteceu realmente com Vera e, principalmente, seu filho.

Logo no início é perceptível a magnitude com que o caso de Vera chama por Claire, que, em meio aos seus problemas pessoais, se dedica à matéria como se fosse algo de enorme importância, o que no fim trará grandes revelações não só para ela.


"- Daniel? - eu o chamei outra vez, mas só a minha voz ecoou no frio e solitário ar." (pág. 32)

A narrativa é intercalada entre capítulos narrados por Claire e Vera, o que é interessante, já que podemos vivenciar o que aconteceu ao mesmo tempo em que Claire vai descobrindo os fatos. Confesso que no começo da leitura tive dificuldades por ler os capítulos de Claire, somente quando a trama começou a se mostrar de fato e Claire se mostrou mais ativa, consegui levá-la normalmente. Não que não entendesse a dor de Claire, quer dizer, não passei pelo que ela passou e espero não passar, mas entendo que cada um tem seu próprio tempo para viver sua dor, se deixar sentir e aprender a conviver. Mais precisamente, aceitar. Pois, há dores que nem o tempo pode curar.

Os capítulos narrados por Vera são cheios de sentimentos. A moça, na época, jovem e muito bonita - porém pobre - apaixonou-se por um jovem rico que não se importava por Vera não pertencer a sua classe social. Vera, porém, sabia das dificuldades que enfrentaria e tinha seus medos e, no fim, o deixou, mesmo com um filho em sua barriga. Em meio a muitas dificuldades, ela fazia de tudo para garantir o sustento de seu filho pelo menos. Tamanha foi a dor quando perdeu Daniel e se viu em grande desespero fazendo tudo o que podia e o que imaginara nunca fazer para encontrar seu pequenino.

O final é emocionante. A leitura deste livro, em si, é cheia de sentimentos. Tive meus altos e baixos pois, já esperava algo que me prendesse bastante no início. Talvez isso tenha tido grande importância para meu desapontamento inicial, mas logo que a vontade de saber o que aconteceu com Vera e Daniel e logo o que aconteceria com Claire se mostrou, o quadro mudou. Indico a leitura para quem gosta de drama e romance. 

Um salve final: Chorei! vlw, flw \õ/ Sim, gosto quando os livros me fazem chorar. Não só chorar, qualquer expressão, como rir e gargalhar, o que já aconteceu. Mas, enfim.. adoro pois, é sinal de que, pouco que seja, conseguiu tocar os sentimentos. AH! E as flores né? Segundo livro da Sarah Jio que leio e percebo a importância das flores. Estão sempre no meio da história, fazendo parte de um modo belo.

Autora: Sarah Jio
Título Original: Blackberry Winter
Origem: Literatura Americana
Editora: Novo Conceito
Tradução: Rafael Gustavo Spigel
ISBN: 9788581637211
Publicação: 2015
Páginas: 336
Série: Não
O Que Tem?: Drama, Mistério, Conflitos Familiares

Links: Skoob - Compre - Autora - Site da Editora
O Obsession Valley agradece à editora Novo Conceito por ceder o exemplar para análise.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Livro: Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty

Pequenas Grandes MentirasPequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada. Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline. Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade. Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida. Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o fatídico dia em que alguém cai da varanda da escola e morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada. Ao colocar em cena ex-maridos e segundas esposas, mãe e filhas, violência e escândalos familiares, Liane Moriarty escreveu um livro viciante, inteligente e bem-humorado, com observações perspicazes sobre a natureza humana.

"Ai, calamidade!"

Era para ser só uma festa de confraternização dos pais da Escola Pública de Pirriwee. Uma noite divertida, onde aconteceria um concurso de perguntas. As mães iriam fantasiadas de Audrey Hepburn e os pais de Elvis Presley. No momento em que alguém cai da varanda da escola e morre, todos presentes acabam encurralados e prestam seus depoimentos. Então, Liane Moriarty nos leva seis meses antes do acontecimento, onde conhecemos alguns dos personagens importantes, que estavam presente naquela noite e o que pode ter levado ao homicídio.

Primeiro conhecemos a mãe de quarenta anos Madeline Mackenzie que está tentando lidar com a preferência da filha mais velha pelo pai - ex marido - e a nova mulher dele. Isso a deixa enfurecida, em vista que Maddie nem suporta Bonnie, a atual esposa de Nathan. É uma verdadeira madame, apesar do ódio contra a família do ex, tem um bom coração. À caminho para a orientação de jardim de infância, da filha com o atual marido Ed, ela conhece Jane, que está se mudando para a região e também, inscreveu o filho em Pirriwee.

Jane Chapman é uma mãe solteira de vinte quatro anos. Ela e seu filho Ziggy estão se mudando para a ficcional Pirriwee, que é uma península próxima de Sidney - Austrália, com clima praiano e preenchida por gente da alta classe. Está tentando se afastar do apoio dos pais e cuidar de Ziggy de forma independente. É claro que Jane se sente um peixe fora d'água na maioria das vezes. Apesar de ter sido bem recebida por Madeline e sua amiga Celeste, a jovem precisa enfrentar problemas com Renata, uma das mães que parece dominar a escola, e acusa Ziggy de bullying e atacar sua filha Amabella. Renata consegue que boa parte das mães se virem contra Jane, menos Maddie e Celeste.

Celeste Wright é mãe dos gêmeos endiabrados - assim definidos por Madeline - e exala classe e riqueza por onde passa. Sempre dando bons presentes e o que dizem, possui um casamento perfeito. Mas, seu marido Perry não costuma ter um bom humor, se é que você me entende....Uma relação conturbada e até perigosa, atrás das paredes, da bela casa.

"...o que as fãs de Perry achariam se o vissem fazendo as coisas que ele fazia?"

Além de conhecermos sobre a vida de ambas e a conexão que cresce entre elas, a narrativa se divide com depoimentos de outros pais que estavam na noite concurso. É o que movimenta ainda mais o enredo e deixa a leitura atrativa e até divertida pelos comentários de alguns pais. Por exemplo, eles chegam a culpar o clube de leitura erótica, da Madeline, por uns acontecimentos. Muitos desses depoimentos definem a personalidade - como falsianes/invejosas - e as suspeitas aumentam. Não só sobre a morte mas: "Será que Ziggy atacou a filha de Renata? " ou " A garota está mentindo?".

Outro mistério que ronda o enredo é sobre o pai de Ziggy. De início, não fica claro que aquilo será explorado pois, Jane resume que o garoto é fruto de uma noite. Digo que foi fácil de acreditar. Mas, a autora retorna ao assunto explorando os medos da personagem e os traumas, que estão presente na personalidade dela, como mascar chiclete. É sério! Porém, lá pra metade da leitura, eu já havia descoberto quem era o pai dele. A autora pregou umas peças, tentando enganar, mas fui com minha escolha até o fim. E me impressionou por ser tudo conectado, com a morte e o bullying na escola.

Liane tem uma escrita fácil e deliciosa. É clichê dizer isso, atualmente, mas quero ler até a lista de supermercados dela. Minha vontade era largar Pequenas Grandes Mentiras, somente quando descobrisse tudo. Porém, não queria que acabasse tão cedo, queria aproveitar mais dos personagens, as pérolas da Madeline e as tretas na escola. Aliás, aquele "Ai, calamidade", lá de cima é a catchphrase de Madeline.

""Não preciso de novas amigas", dissera Jane à mãe.
"Precisa, sim. Você precisa fazer amizade com outras mães", respondera a mãe. "Vocês se apoiam! E se entendem.""

Pequenas Grandes Mentiras, mostra o lado grandioso, problemático e questionador de suas protagonistas femininas que precisam se reerguer, transformar e se libertarem. Ainda presas em situações passadas ou conformadas da maneira que vivem, seguem unidas e capazes de proteger uma a outra. Em um enredo afiado e cheio de mentiras presentes no dia-a-dia de seus personagens. Inventada, escondida ou acobertada, a pequena e grandiosa mentira, está lá.

E como tinha postado na coluna Não! Vão estragar o Livro, o livro será adaptado como série pela HBO. No livro, a trama se passa próxima à Austrália, mas as gravações estão acontecendo em Los Angeles, EUA. De acordo com IMDB são sete episódios e deve estrear em 2017. Será dirigida por Jean-Marc Vallée (de Clube de Compras Dallas) e a produção conta com as atrizes Reese Witherspoon e Nicole Kidman. Confiram o elenco principal:

    
                        REESE WITHERSPOON        NICOLE KIDMAN          SHAILENE WOODLEY
                                MADELINE                         CELESTE                          JANE

     
                                                ADAM SCOTT         ALEXANDER SKARSGARD   
                                                         ED                               PERRY             

              photo kathryn.png
                                     JAMES TUPPER        ZOE KRAVITZ              KATHRYN NEWTON
                                          NATHAN                   BONNIE                          ABIGAIL

    
                                LAURA DERN                IVY GEORGE            IAIN ARMITAGE
                                      RENATA                   AMABELLA                     ZIGGY

Quando atualizar a coluna de adaptações, posto algumas fotos das filmagens.
Tão bom ver o Alex participando desse elenco, mesmo sendo o creepy do Perry. 
Tenho um carinho enorme por ele; um dos meus atores favoritos.

Autora: Liane Moriarty
Título Original: Big Little Lies
Origem: Literatura Australiana
Editora: Intrínseca
Tradução: Adalgisa Campos da Silva
ISBN: 9788580576795
Publicação: 2015
Páginas: 400
Série: Não
O Que Tem?: Mistério, Conflito Familiar e Escolar

 

Obsession Valley | Livros, Filmes, Séries e outras coisas... Template by Ipietoon Cute Blog Design