16/10/2014

Livro: Traída - P.C. Cast & Kristin Cast

Atenção! Se você ainda não leu nenhum dos livros e/ou resenhas anteriores, sugiro que não continue a ler essa resenha. Pode conter spoiler. Clique aqui e leia a resenha do primeiro livro.

Zoey se estabelece na Morada da Noite. Finalmente sente-se incluída e aprende a controlar os seus poderes. Agora ela supera novos desafios, luta contra a morte que se abate sobre adolescentes humanos e sobre a própria Morada da Noite e, de repente, percebe que seu coração e sua alma acabam de ser partidos por uma grande traição. Nesse segundo livro da série House of Night depare-se com novos mistérios, surpreendentes emoções e muita sensualidade.


Em Traída, voltamos a encontrar Zoey Redbird e a Morada da Noite. Agora, Zoey é a líder das Filhas das Trevas e está namorando o cobiçado Erik Night.

Tudo está indo a mil maravilhas até que o poeta laureado Loren Blake se torna seu professor e começa a demonstrar interesse por ela. E, como se não bastasse isso, ela acidentalmente carimbou seu ex-namorado, Heath Luck. Adiciona-se mais a morte de alguns jovens e todo mundo pondo a culpa nos vampiros da Morada da Noite.

Particularmente gostei mais de Traída do que de Marcada. Zoey nesse livro já começou a ter um pouco de juízo na cabeça e aceitar seus poderes: afinal, ser líder das Filhas das Trevas e ter afinidade com os cinco elementos não é pra qualquer um.

Não que eu seja totalmente cética nem nada assim, mas, por favor... dá um tempo! (como as gêmeas diriam) Ser capaz de conjurar o poder dos cinco elementos era bem bizarro. Tipo, minha vida não era nenhum filme dos X-Men (apesar de que eu, com certeza, gostaria de passar um bom tempo com o Wolverine).

Nesse livro, conhecemos um pouco mais de Aphrodite, que, pra mim, é uma das personagens mais legais da história. Começamos a ver que ela não totalmente heartless bitch.

Assim como personagens novos aparecem, como Loren Blake, temos a perda de um personagem muito importante. Fiquei depressiva e não queria mais ler. Fora, a traição de uma personagem que ninguém esperava.

Já li até Despertada e acho que essa frase abaixo resume toda a história.

A escuridão nem sempre equivale ao mal, bem como a luz nem sempre traz o bem.

Traída nos mostra que nem sempre aqueles que confiamos são aqueles que merecem nossa confiança.


Autoras: P.C. Cast e Kristin Cast
Tradutor: Johann Heyss
Editora: 9788576792505
Publicação: 2009
ISBN: 9788576792291
Páginas: 331
Série: House of Night / HON
#1: Marcada - Resenha
#2: Traída 
#3: Escolhida 
#4: Indomada 
#5: Caçada 
#6: Tentada 
#7: Queimada 
#8: Despertada 
#9: Destinada 
#10: Escondida 
#11: Revelada 
#12: Redimida 
O Que Tem?: Romance Paranormal, Fantasia, Vampiros
LinksSkoobCompre Submarino, Página BR, Site da Editora

15/10/2014

Lançamentos Literários/2014 - Novo Século

Oi pessoas, tudo bem?
Hoje trago as novidades da editora Novo Século.
Muita coisa bacana e nossa, já dá pra pedir uns presentinhos de Natal adiantado? =x

Confiram!


09/10/2014

Livro: A Culpa é das Estrelas - John Green

A Culpa é das EstrelasA culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

"Esse é o problema da dor – o Augustus disse, e ai olhou para mim. – Ela precisa ser sentida." - pág: 63


Hazel Grace é uma jovem de dezesseis anos que desde os treze sofre com um câncer na tireoide que se desprendeu, gerando um tumor metastático no pulmão. Assim, Hazel anda sempre acompanhada de um cilindro de oxigênio e usa uma cânula no nariz, facilitando sua respiração. 
Convencida a frequentar o Grupo de Apoio, Hazel logo se vê encantada por Augustus Waters
O rapaz teve a perna amputada por causa do osteosarcoma, também frequenta o Grupo junto do amigo Isaac. 
Hazel e Gus são bem parecidos. A paixão entre os dois é inevitável, assim como os sorrisos singelos que podem surgir durante a leitura. Bom, até...

Gus é bem mais positivo que Hazel, não que ela seja a chata pessimista. Por tudo que passou, a garota tem um pé atrás com a então amizade/amor, e não deseja que Gus crie expectativas sobre ela. Tanto que a própria se denomina como uma granada. Mas Gus, com o jeito espirituoso e adorável, mostra à Hazel, com pequenos e grandes gestos, motivos para sorrir a cada dia e viver.

"Se ela estivesse melhor ou o senhor, mais doente, então as estrelas não estariam tão terrivelmente cruzadas, mas é da natureza das estrelas se cruzar, e nunca Shakespeare esteve tão equivocado como quando fez Cássio declarar: 'A culpa, meu caro Bruto, não é das nossas estrelas / Mas de nós mesmos.' Fácil falar quando se é um nobre romano (ou Shakespeare!), mas não ha qualquer escassez de culpa em meio às nossas estrelas." - pág: 106


Com uma narrativa inteligente, A Culpa é das Estrelas conquista o leitor com sua salada de sentimentos. Difícil não se encantar pelo casal de protagonistas, difícil não se colocar no lugar dos pais da Hazel, difícil não desejar um amor para passar horas comentando sobre seu livro favorito, enfim, John Green ministra bem todos os personagens, tanto que todos me convenceram.
Foi o terceiro livro que li do autor, e foi o primeiro dele que não tive problema com os personagens principais - sempre tem um que tem o costume de ser detestável - preciso mencionar Isaac, o melhor amigo de Gus que trás um tom meio irônico à história, pois está prestes a perder completamente a visão, mas parece estar mais agitado com o fato de perder a namorada. Os melhores amigos que o autor constrói são sempre divertidos e cativantes.

Apesar de todos os elogios, a leitura não me deu aquele baque que a maioria recebe ao finalizar. Tive que apressar a leitura por causa da estreia do filme porque não paguei trinta reais no livro para saber do final antes de ler. Já o filme foi bem mais emocionante, em breve comento sobre ele.

" Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações." - pág: 281.

E não posso deixar de comentar da diagramação. Essa capa que me transmite algo sonhador e triste ao mesmo tempo. Capas com tom azul, sempre me passam algo triste gente...
A editora foi bem caprichosa na edição, sem erros gritantes e uma boa fonte para o conforto da leitura.

Eu ia gravar um vídeo-resenha solo, mas decidi fazer junto com de O Teorema Katherine
Avisarei nas redes sociais do blog, quando for ao ar.


Autor: John Green
Título Original: The Fault in Our Stars
Série: Não
Editora: Intrínseca
Tradução: Renata Pettengill
ISBN: 9788580572261
Publicação: 2012
Páginas: 288
O que tem? Romance, Drama, Sick-Lit, Gente que ama ler

03/10/2014

Cinema: Estreias da Semana 2014 - Outubro/01

Acompanhe as estreias da semana


CLIQUE AQUI E LEIA MAIS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...