segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Série: Vicious

Freddie e Stuart são um casal gay que estão juntos há quase 50 anos. Suas vidas agora giram em torno de entreter seus convidados frequentes e insultando uns aos outros em cada oportunidade.
A sitcom britânica dos criadores Gary Janetti e Mark Ravenhill estreou em 2013 no canal ITV. Protagonizada por sir Ian McKellen, de X-Men e Senhor dos Anéis, e sir Derek Jacobi, de Anjos da Noite: A Evolução, a série durou pouco, merecendo mais. Apenas três anos, foram suficientes para torná-la uma das minhas séries favoritas e creio que terminou bem, no seu auge.

Freddie e Stuart vivem juntos há um bom tempo num flat, no centro de Londres. Freddie é um ator meio que, falido. Sua carreira é preenchida por pequenas participações, mas ele age como se fosse realmente famoso. Conheceu Stuart quando ele ainda trabalhava num bar e agora moram com seu velho cachorro Balthazar. Sério, cada episódio é necessário checar se o cachorro está morto.
O casal Freddie e Stuart vivem no amor e ódio
A vida social de Freddie e Stuart, é regada por estranhas visitas dos amigos - idosos - sempre economizando na comida e gastando em insultos por todos os lados. Com a chegada no novo vizinho Ash, Iwan Rheon da série Game of Thrones, que por ser novo sempre está se esquivando da atirada Violet, Frances de la Tour da série Outlander, o grupo o acolhe bem e é como se ele fosse um filho adotado pelo casal ranzinza. É o que menos recebe ofensas, vamos dizer assim. Mas, apesar dos comentários maliciosos, ofensas sobre idade e aparência e mais...eles sentem um amor grandioso pelo outro que pode até te levar às lágrimas.

Costumam dizer que os britânicos não têm humor. Quem diz talvez ainda não tenha assistido Vicious. Uma comédia cretinamente deliciosa, mas que sempre nos deixa com gosto de quero mais. Pense na sua série favorita do momento. Pensou? Agora pense, que sua série favorita tem apenas seis episódios por temporada com vinte minutos! É para rever sempre!! A cada final de episódio, é impossível não querer mais desse grupo de amigos, em especial o casal principal e suas amigas Violet e Penelope
Penelope, melhor pessoa ♥
Ah, Penelope! Ela é divertidíssima. Ela é meio esquecidinha e na maioria das vezes fica meio deslocada das conversas, pois esquece como chegou ali ou o assunto mesmo, mas sempre soltando algo inapropriado. A atriz Marcia Warren, é um show a parte interpretando a personagem que sempre nos diverte, porém, no episódio final sua reflexão acaba nos emocionando. Pena que a atriz, não teve o reconhecimento merecido.

É meio complicado indicar séries de comédia, pois humor é relativo. O que me faz rir talvez nem faça 25% dos que visitam o blog, rir também. Como já explanei que é uma das minhas séries favoritas, posso ressaltar que o único ponto negativo é essa série ter sido curta. Mas, deixa muitas lembranças divertidas, de certo. 
Tão amorzinho...
Para quem curte sitcoms, Vicious é uma boa pedida e para quem nunca assistiu uma série de comédia, dê uma chance. E uma chance de ver Ramsay Bolton, sendo amorzinho...além de Misfits, claro...mas, isso é assunto para outra postagem.

PARTICIPE DO GRUPO FRIENDS FOR SERIES NO FACEBOOK

Título Original: Vicious
Status: Finalizada
Nacionalidade: Britânica
Criadores: Gary Janetti e Mark Ravenhill
Roteiro Adaptado?: Não
Ano: 2013 / Mid-Season
Censura: 14 anos
Duração de Episódios: 20min
O Que Assistirei?: Comédia, Deboche, Amigos
Elenco Principal: Ian McKellen, Derek Jacobi, Iwan Rheon, Marcia Warren, Frances de la Tour, Philip Voss, entre outros.
Trilha SonoraIMDB
Abertura/PromoFreddie - Abertura
Canal Britânico/Americano: ITV
Canais Brasileiros: ?

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Livro: Sopro de Vida - Marion Lennox

Hoje a resenha será sobre um duo da coleção Special da Harlequin
São dois romances doces; sem tom erótico. Com destaques para animais e uma boa pedida para quem curte leituras rápidas. Ah, e a gravidez só é destaque em um deles.


Sopro de VidaDOCE REBELDE - MARION LENNOX O banqueiro Mathew Bond não havia ido até aquele circo apenas para reviver os bons tempos de infância. Por ter passado muitos momentos lá, fez questão de entregar pessoalmente a ordem de despejo para os donos. Mas cometeu um grande erro! A Incrível Mischka – ou melhor, Allie – é mais perspicaz do que o seu collant cor-de-rosa sugere. E não vai deixar que um engravatado expulse sua família, apesar de ser o homem mais lindo que ela já viu na vida! Entretanto, Allie logo descobrirá que por debaixo da superfície fria de Mathew bate um coração de ouro.

No primeiro romance conhecemos Allie, seus avós e o Circo Sparkles que, apesar dos 140 anos de estrada, está na falência. O avô já fez de tudo para salvá-lo e isso acumulou várias dívidas. Então, o banqueiro Matthew Bond tem a difícil missão de encerrar os empréstimos e tirar velho Henry dos negócios. O avô de Allie, não reage bem e acaba no hospital. Porém, naquela noite ainda haveria um espetáculo e precisariam de um apresentador. E não é que Matthew Bond é a escolha perfeita?

Matthew frequentara o circo ainda novo. Sua tia Margot, o levava durante as férias de verão. Agora ela não é tão animada quanto antes e se exclui do mundo, dizendo que está morrendo, pois não consegue superar a morte de seu cão. Margot tem muito carinho pelo Circo Sparkles e consegue com que eles ainda tenham mais duas semanas. Duas semanas, que são suficientes para aproximar Matthew e Allie deixando a afeição florescer.

"Algo estava acontecendo ali, algo mais forte do que ele. Não entendia o que era, mas não tinha esperança de lutar contra isso."

Com uma narrativa simples, Marion Lennox trás um lado fofo para seu romance com a ajuda dos animais e o clima australiano. Ah! Vamos focar nos bichinhos adoráveis, principalmente o camelo Pharoah, de Allie, com quem divide momentos amigáveis. Sua protagonista crescera no circo então, há um apego imenso com todos, como se fossem família. Por outro lado, faz com que ela estranhe muita coisa e complica seus sentimentos por Matthew.  Já o rapaz é feito de traumas de infância que até, talvez, o impedissem nutrir certo sentimento, porém a companhia de Allie o agrada cada vez mais, com o passar das páginas.

Doce Rebelde é daqueles romances fofinhos, mas que parece faltar algo mais. A recusa de Allie a não se entregar ao romance, não me convencia, pois não via nada de grandioso para afastar os dois e o desenvolvimento é bem fraco. E ainda rola uma pegadinha com a capa que passa a impressão de que os dois romances terão a gravidez como destaque, mas não na primeira história.

Sopro de VidaFURACÃO DE MUDANÇAS - MARION LENNOX
Ben Logan nunca pediu ajuda a ninguém, até ser carregado por um furacão para uma praia. Lá, sua vida fica nas mãos da adorável enfermeira Mary Hammond. Isolados, os dois se livram de suas inibições e se rendem ao calor do desejo. Mesmo depois de resgatados, Ben não consegue esquecer Mary e as noites de paixão que viveram enquanto se protegiam da tempestade. Mas quando ela aparece em seu escritório, três meses depois, trazendo consigo uma surpresa, Ben sabe que suas vidas haviam mudado para sempre…

O segundo romance se passa na Nova Zelândia, onde conhecemos Mary, uma enfermeira fã de roller derby, e seu cachorro Heinz. A Ilha Hideaway está enfrentando uma perigosa tempestade e eles precisam de um local seguro, para a proteção. Mary escolhe uma caverna próxima à praia, onde encontra um corpo na água. Ele só estava inconsciente e, em meio a tempestade, consegue arrastá-lo, o salvando.

Ben e seu irmão Jake estavam navegando quando a tempestade iniciou. Jake ainda conseguira ser salvo e a última imagem de Ben, do irmão, é dele sendo levado pelas cordas de um helicóptero. Após ser encontrado por Mary, acaba impressionado pela dedicação e a forma como ela cuida deles. Dos ferimentos de Ben e a proteção na caverna.

O silêncio é sempre raro. Pouco a pouco se conhecem e os laços começam a se formar junto com belas faíscas. A inevitável atração surge e não resistem um ao outro. Poderia ter sido momentâneo e depois da tempestade, nunca mais soubessem um do outro. Porém, mesmo que com receio - um mês depois - Mary se vê em Nova York atrás dele. Ele precisava saber. Precisava saber que seria pai.

"Porque ela o ouvia e o abraçava, e as palavras eram absorvidas e guardadas. De alguma forma, dentro daquele casulo, sentia a armadura em volta do coração fraquejar e rachar."

De início, Ben não reage muito bem à notícia. Acreditei que a autora fosse focar no drama dele ser rico e tals, mas se igualou ao mesmo problema emocional do primeiro romance: traumas de infância. Tanto Ben Logan quanto Matthew Bond, guardam mágoas de familiares e tiveram perdas. Só que nesse, o desenvolvimento foi melhor, porém há suas falhas, como o final com pontos abertos, que aliás, um relacionado à gravidez, foi frustante.

A narrativa é melhor desenvolvida e toda questão da sobrevivência, se torna bem interessante de acompanhar. Mary é uma protagonista otimista e com certo carisma. Para quem curte um romance mais light, o duo de Marion Lennox é uma boa pedida.

Achei legal que a imagem da capa nacional, é a original, do segundo romance.


Autora: Marion Lennox
Título Original: Sparks Fly with the Billionaire / Nine Months to Change His Life
Origem: Literatura Australiana
Editora: Harlequin
Tradução: Vanessa Mathias Gandini / Rafael Bonaldi
ISBN: 9788539816972
Publicação: 2015
Páginas: 320
Série: Somente o segundo romance:
The Logan Twins
#1: Furacão de Mudanças (escrito por Marion Lennox)
#2: The Maverick Millionaire (escrito por Alison Roberts)
O Que Tem?: Romance, Animais, Oceania

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Livro: A Garota No Trem - Paula Hawkins

A Garota No TremUm thriller psicológico que vai mudar para sempre a maneira como você observa a vida das pessoas ao seu redor. Todas as manhãs, Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d'água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes a quem chama de Jess e Jason , Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess na verdade Megan está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. Uma narrativa extremamente inteligente e repleta de reviravoltas, A Garota No Trem é um thriller digno de Hitchcock a ser compulsivamente devorado.

Com emocional questionável, Rachel tenta superar o turbulento fim de seu casamento com Tom. A amiga com quem divide um duplex, acredita que ela ainda esteja empregada e com isso, Rachel continua agindo como se estivesse trabalhando. Embarca no trem, no mesmo horário e diferente de todos ali, pressionados do estresse do dia, ela aproveita as viagens admirando ao redor, em especial uma tal casa 15. Aos olhos de Rachel, o casal que mora lá é perfeito. Ela até lhe deu nomes: Jason e Jess. Uma bebida, às vezes a acompanha. O álcool não a deixa, está sempre ao redor. Ele é seu pior inimigo, o motivo de sua vida estar como estar e sempre levá-la de volta a Tom.

A maioria das bebedeiras de Rachel, termina com inúmeras ligações para Tom e acaba lhe causando mais problemas. Tom está com Anna - se relacionaram enquanto ele ainda estava com Rachel - eles têm uma filha bebê e moram na casa que Rachel dividia com ele. Anna odeia Rachel e está sempre em alerta, acreditando que ela lhe fará algum mal e contra sua filha, também. E aliás, eles moram próximo da tal casa 15 que Rachel tanto admira.

"Não sou mais o que eu era. Não sou mais atraente; acho que no fundo sou repelente. Não é só o fato de ter engordado, ou de meu rosto estar inchado de tanto beber e de dormir pouco; é como se as pessoas conseguissem ver o estrago em mim como um todo, elas veem isso no meu rosto, na minha postura, nos meus movimentos."

Jess e Jason, na verdade são Megan e Scott. Eles não são tão perfeitos assim, pois Megan também passa por questões emocionais e problemas no casamento, o que a leva até Kamal Abdic, o psicólogo. Numa das viagens, Rachel 'flagra' os dois juntos na casa e toda questão envolvendo a traição a deixa mais atormentada, decidindo se aproximar do casal e passa a rondar a área - muitas vezes caindo de bêbada - incomodando Anna que sempre ameaça denunciá-la. Na primeira tentativa de contatar Scott, por exemplo, não dá muito certo. Ela não se lembra, mas acordou em casa em estado deplorável, cheia de machucados e com mensagens revoltadas no celular. E por coincidência, Megan desapareceu naquela noite, o que coloca Rachel na mira da investigação. Vocês acham que Anna, ao prestar depoimento sobre a vizinha, ia perder a oportunidade de mencioná-la aos policiais?

Rachel é apenas uma na lista de suspeitos. A autora divide a narrativa dando destaque às três personagens femininas - Rachel, Megan e Anna - então, a cada parte narrada por Megan faz o leitor questionar mais envolvidos ou se simplesmente ela fugiu. Não é apenas um thriller com segredinho, há muitas questões emocionais envolvidas e é isso que mais impressiona durante a leitura.

"Pobre Scott. Não sabe da missa a metade. Ele me ama tanto que dói. Não sei como consegue. Eu me tiraria do sério."

A trama da britânica Paula Hawkins, até pode começar morninha, mas logo, a narrativa engata e se torna interessante a cada página. A escrita, sem tons suaves, flui e o cenário, bem descrito, muitas vezes se torna pesado. Assuntos como alcoolismo, violência contra mulher, traição e o gaslighting (clique aqui e saiba mais) estão em destaque. Prefiro não entrar em detalhes sobre o último porque tudo que pensei em comentar, levaria a ter spoiler na resenha. Vocês notaram que a autora explora muito o emocional das personagens, mas não encare isso de forma negativa. Afinal, o contraste com o suspense é bem desenvolvido e plausível. A resolução do caso me deixou chocada. O que deixa a desejar é o final de Rachel - eu esperava mais - e a autora passar boa parte da narrativa 'acusando' um personagem e depois some com ele, do nada.

E falando sobre os personagens, não posso dizer que são todos cativantes. Claro que a gente torce para que Rachel possa dar a volta por cima e reconstruir sua vida. Mas, eu disse que o final dela é meia boca, né? A maioria dos personagens, demonstram um lado negativo durante a leitura, que fica difícil se apegar. Os personagens masculinos, então, nem se fala...

"Sei que Tom tem dó da Rachel, mas, honestamente, acho que chegou a hora de eu dar um jeito naquela vaca de uma vez por todas."

A Garota no Trem é um ótimo thriller, que vale sua atenção. A edição está bacana, gostei mais da capa nacional e a narrativa dividida é um grande atrativo. Mas, não se deixe enganar pela propaganda que o compara com Garota Exemplar. As personagens aqui, não tem uma autoestima tão boa quanto de Amy. Porém, ambas mexem com o psicológico de uma maneira, que talvez, o leitor não largue a leitura, até finalizar. E sim, também haverá uma adaptação. Na verdade, estreia no dia 13 de Outubro, no Brasil. Estou bem ansiosa, pois gostei da escolha da Emily Blunt para interpretar a Rachel. Ela é uma das minhas atrizes favoritas. Clique aqui e assista o trailer. Esse é o novo que saiu, o primeiro estava cheio de spoiler.

Autora: Paula Hawkins
Título Original: The Girl on the Train
Origem: Literatura Britânica
Editora: Record
Tradução: Simone Campos
ISBN: 9788501104656
Publicação: 2015
Páginas: 378
Série: Não
O Que Tem?: Mistério, Thriller Psicológico, Alcoolismo

 

Obsession Valley | Livros, Filmes, Séries e outras coisas... Template by Ipietoon Cute Blog Design